Como Calcular a Média do Ensino Secundário 2023 – Guia detalhado e Calculadora de médias escolares da Da Vinci)

Guia Detalhado para Calcular a Média do Ensino Secundário em 2023: Da Teoria à Prática

O acesso ao ensino superior é um objetivo crucial para muitos estudantes e a média do ensino secundário desempenha um papel fundamental nesse processo. Mas como é que se calcula efetivamente esta média? NÓS EXPLICAMOS:

Neste artigo, vamos explicar o cálculo passo a passo e apresentar a calculadora dos Ginásios da Vinci que simplifica todo este processo.

Compreendendo as Componentes da Média

O cálculo da média do ensino secundário normalmente considera duas componentes principais: a Classificação Interna Final (CIF) e a classificação dos exames nacionais. A CIF é a média aritmética, arredondada às unidades, das classificações dos três anos do ensino secundário, de todas as disciplinas.

As disciplinas não têm todas o mesmo peso, já que isso depende da sua natureza e da sua duração ao longo dos três anos. Temos disciplinas anuais (lecionadas num único ano), bienais (lecionadas em dois anos) e trienais (lecionadas durante os três anos).

Existem ainda disciplinas obrigatórias, como Português e Matemática A, e disciplinas opcionais, cuja escolha depende da área de estudos e das preferências do aluno. A Educação Física, por exemplo, é uma disciplina anual obrigatória que conta para o cálculo da média.

No entanto, de acordo com o Decreto-Lei n.º 22-D/2021, de 22 de março, em 2023, devido à situação excecional da pandemia COVID-19, os exames nacionais não entram no cálculo da média final do ensino secundário. Contudo, estes exames são essenciais para o acesso ao ensino superior, com o peso estabelecido por cada universidade. Esta é uma situação excecional, prevendo-se que em 2024 regressem as normas habituais, onde os exames nacionais contam para a média final do ensino secundário. As novas regras para 2024 foram recentemente aprovadas, mas serão abordadas em detalhe num futuro artigo.

Cálculo da Média – Exemplo Prático

Para ilustrar melhor, consideremos o exemplo de um aluno do curso de Ciências e Tecnologias. As suas notas finais dos três anos do ensino secundário são as seguintes:

Disciplina10º ano11º ano12º ano
Português (Trienal)151617
Inglês (Bienal)1818
Matemática A (Trienal)141516
Biologia e Geologia (Bienal)1617
Física e Química A (Bienal)1516
Filosofia (Anual)16
Educação Física (Trienal)171819
Opção (Anual)18

Para calcular a média, as notas de cada disciplina são somadas e depois divididas pelo número total de anos em que foram lecionadas. Por exemplo, a nota de Português é calculada da seguinte forma: (15 + 16 + 17)/3 = 16 (arredondado às unidades). Este processo é repetido para todas as disciplinas.

Depois de calcular a média para todas as disciplinas, é feita a média global, que é a soma das médias de todas as disciplinas a dividir pelo número total de disciplinas. No caso do nosso exemplo, a média seria: (16 + 18 + 15 + 16,5 + 15,5 + 16 + 18 + 18) / 8 = 16,6

A Calculadora da Vinci

Para facilitar este processo, a Vinci tem disponível uma calculadora que permite aos alunos inserir as notas finais do 10º, 11º e 12º anos e obter a média final do ensino secundário. Além disso, esta calculadora também permite simular as notas de acesso ao ensino superior com as notas dos exames finais.

Esperamos que este guia tenha ajudado a esclarecer o processo de cálculo da média do ensino secundário. Boa sorte a todos os estudantes neste importante passo rumo ao ensino superior!

Ginásios da Educação Da Vinci, onde há sempre mais para aprender

www.ginasiosdavinci.com

Guia dos Níveis de Inglês Cambridge: Do A1 ao C2

No mundo globalizado em que vivemos, o domínio da língua inglesa tornou-se uma competência essencial. As certificações de inglês da Cambridge Assessment English são algumas das mais prestigiadas a nível mundial. Se procura entender melhor o que significam os níveis A1, A2, B1, B2, C1 e C2, encontrou o artigo certo. Aqui, vamos explorar o que cada um desses níveis representa e como funcionam.

Nível A1 da Cambridge: Starters, Movers e Flyers

O primeiro nível da certificação da Cambridge é o A1, que é dividido em três partes: Starters, Movers e Flyers. Cada uma dessas etapas é destinada a crianças de 7 a 12 anos e tem como objetivo despertar o interesse pelo inglês.

Os Starters, o primeiro nível, apresenta as crianças à língua inglesa de forma divertida e interativa. Os Movers, o segundo nível, ampliam o vocabulário e as estruturas gramaticais básicas. Por fim, os Flyers, o último nível do A1, consolidam o conhecimento adquirido e preparam as crianças para o próximo nível de certificação.

Nível A2 da Cambridge: Key English Test (KET)

O nível A2, também conhecido como Key English Test (KET), é o próximo nível de certificação. A sua finalidade é demonstrar que o estudante é capaz de compreender frases simples em inglês e pode comunicar necessidades básicas.

Nível B1 da Cambridge: Preliminary English Test (PET)

Avançando para o nível B1, temos o Preliminary English Test (PET). Este nível certifica que o estudante pode entender a essência de textos em inglês, expressar opiniões e comunicar-se em situações do dia-a-dia.

Nível B2 da Cambridge: First Certificate in English (FCE)

O nível B2 é mais avançado e é representado pelo First Certificate in English (FCE). Este certificado confirma que o estudante é capaz de participar ativamente em discussões, argumentar de forma coerente e entender textos complexos.

Nível C1 da Cambridge: Certificate in Advanced English (CAE)

O nível C1, também conhecido como Certificate in Advanced English (CAE), certifica que o estudante pode compreender, expressar e adaptar-se a um amplo leque de contextos complexos e desafiantes. Esta é a certificação ideal para quem necessita de um alto nível de inglês para fins profissionais ou académicos.

Nível C2 da Cambridge: Certificate of Proficiency in English (CPE)

Por último, temos o nível C2, ou Certificate of Proficiency in English (CPE). Este é o nível mais elevado da certificação de Cambridge. Quem alcança este nível demonstra um domínio excepcional da língua inglesa, comparável ao de um falante nativo.

Os níveis de inglês da Cambridge são uma forma excelente e reconhecida internacionalmente de avaliar e certificar as suas competências linguísticas. Seja qual for o seu objetivo – estudar no estrangeiro, avançar na

carreira ou simplesmente melhorar as suas habilidades de comunicação – uma certificação de Cambridge é uma adição valiosa ao seu currículo.

Como funciona a certificação da Cambridge?

Para obter a certificação da Cambridge em qualquer nível, é necessário passar por um exame que avalia diferentes habilidades linguísticas: leitura, escrita, audição e fala. Cada exame é estruturado de forma diferente, de acordo com o nível que está a ser avaliado.

Por exemplo, no exame de nível A1 (Starters, Movers e Flyers), as crianças são avaliadas através de atividades lúdicas e interativas, adaptadas à sua idade e nível de desenvolvimento.

Já no nível A2 (Key), os estudantes são avaliados em situações da vida real, como pedir informações ou responder a e-mails simples.

Os exames de níveis superiores (B1, B2, C1 e C2) envolvem tarefas mais complexas, como a análise de textos longos, a produção de textos académicos e a discussão de temas avançados.

Os exames podem ser realizados em vários centros de exame autorizados em todo o mundo. Após a realização do exame, os estudantes recebem um certificado oficial da Cambridge Assessment English.

Conclusão

Os níveis de inglês da Cambridge oferecem uma forma clara e eficaz de medir a proficiência na língua inglesa. Com os seus diferentes níveis, a certificação de Cambridge proporciona um caminho progressivo para a aprendizagem do inglês, permitindo a cada estudante avançar ao seu próprio ritmo e de acordo com as suas necessidades específicas.

Lembre-se, o processo de aprendizagem de qualquer língua é uma jornada, não um destino. Então, quer esteja a dar os primeiros passos com os Starters ou a aperfeiçoar as suas habilidades no nível de Proficiency, cada passo que der em direção à proficiência em inglês é uma vitória.

Esperamos que este artigo tenha ajudado a esclarecer os diferentes níveis de inglês da Cambridge. Se tiver mais perguntas sobre como obter a certificação de Cambridge, sinta-se à vontade para entrar em contacto connosco. Estamos sempre disponíveis para ajudar no seu percurso de aprendizagem de inglês.

Exames Cambridge em Portugal e os Ginásios da Educação Da Vinci

Em Portugal, os Exames Cambridge são oferecidos em várias cidades por centros autorizados.
Os Ginásios da Educação Da Vinci são parceiros oficiais em Portugal da Cambridge Assessment English, para apoio, marcação e preparação dos exames.
preparam os alunos para o exame, ajudando-o a desenvolver os conhecimentos e as competências em língua inglesa, necessárias para obter um bom resultado.

SOMOS Parceiros oficiais Cambridge

TEMOS Cursos de Preparação para os Exames e venda dos Manuais Oficiais

FAZEMOS a marcação dos Exames

Seja para estudar, para o trabalho ou para aprimorar as suas habilidades de comunicação, uma certificação de Cambridge é um trunfo importante para o seu currículo.

A Da Vinci oferece suporte integral na preparação para a certificação de proficiência em inglês. Um serviço completo: cursos de preparação para os exames, marcação dos exames e venda dos manuais oficiais da Cambridge (digitais e papel) Connosco, tem à disposição todas as ferramentas necessárias para obter a sua certificação Cambridge com sucesso e tranquilidade. Procure-nos agora mesmo 👉 https://www.ginasiosdavinci.com/cursos-de-linguas/

Professora do Bombarral, Ana Moniz, vence Global Teacher Prize Portugal, premiando o trabalho que vem realizando com alunos autistas.

A professora Ana Moniz, dedicada ao trabalho com alunos autistas no Bombarral, foi a grande vencedora da edição 2023 do Global Teacher Prize Portugal. Este reconhecimento foi anunciado pelo presidente honorário do júri, o pediatra Mário Cordeiro.

O Global Teacher Prize, uma espécie de “Nobel” da educação, presente em mais de 120 países, é uma iniciativa da Varkey Foundation, que tem como objetivo destacar e honrar o extraordinário trabalho dos professores ao redor do mundo. A versão portuguesa do prémio, promovida pela organização Mentes Empreendedoras, mantém o mesmo propósito, e destaca o desempenho notável de docentes em território nacional, atribuindo um prémio no valor de 30 mil euros.

Ana Moniz, professora de educação especial no Agrupamento de Escolas Fernão do Pó, tem sob sua responsabilidade aproximadamente 126 alunos, do pré-escolar ao 12º ano. Ela se destaca especialmente no trabalho com alunos autistas que frequentam o centro de apoio à aprendizagem.

No seu percurso, a docente tem contribuído para a dinamização de “técnicas multissensoriais” e para a “criação de espaços de aprendizagem ativos e diferenciadores”. Como parte deste esforço, criou uma quinta pedagógica onde os jovens aprendem a ser autónomos, através do contacto com a natureza.

Na cerimónia de entrega do prémio em Lisboa, Ana Moniz, ao receber a distinção, enfatizou o seu empenho para que os seus “meninos sejam cidadãos de pleno direito, sejam respeitados e respeitadores, auto-suficientes e empreendedores”.

A professora é também autora do projeto “Ler Lazer e Aprender” e desenvolve a ação “Aprender a ser Fazendo” na quinta pedagógica Bambilocas, com o objetivo de desenvolver a autonomia dos alunos na realização de atividades da vida diária através do contacto com a natureza.

A vitória de Ana Moniz é um testemunho da paixão, empenho e inovação que caracterizam a sua abordagem ao ensino, e é um exemplo inspirador para todos os educadores.

Conheça aqui os vencedores dos outros anos.

Professora do Bombarral, Ana Moniz, vence o “Global Teacher Prize Portugal”, premiando o trabalho que vem realizando com alunos autistas. O Global Teacher Prize, frequentemente comparado ao “Nobel” da Educação, é um reconhecimento internacional que homenageia o “melhor professor do mundo” com uma distinção e um prémio avultado de 1 milhão de Euros. No mesmo espírito de valorização da excelência educativa, existe o Global Teacher Prize Portugal, a versão nacional do prémio. Este galardão, premeia o mérito de um Professor de Portugal, ao qual é atribuido um prémio monetário de 30 mil euros.

Ginásios da Educação Da Vinci felicitam a Professora Ana Moniz por esta distinção. O seu trabalho inspirador e a sua dedicação incansável são um exemplo para todos nós no campo da educação. Parabéns, Professora Ana!

Fonte: Global Teacher Prize Portugal

🚀 Quão alto poderia chegar em altura um papel dobrado 42 vezes? À lua. Sim leste bem, chegaria à lua!

Acreditas que se conseguisses dobrar uma folha de papel 42 vezes, ela chegaria à lua em altura? Parece mentira, mas não é! NÓS EXPLICAMOS:

Dobrar Papel até à Lua. Uma História Exponencial:

Já alguma vez pensaste sobre o que aconteceria se conseguisses dobrar um pedaço de papel 42 vezes? Não? Bem, a resposta pode ser mais surpreendente do que imaginas!

Se pegares numa folha de papel e dobrares ao meio, e depois ao meio novamente, e continuares a fazê-lo 42 vezes, o papel empilhado ficaria com a incrível altura de mais de 400.000 quilómetros. Isso é suficiente para chegar à lua! 🌕

Isto acontece por causa da natureza exponencial da dobragem. Cada dobragem duplica a espessura do papel, sob um crescimento exponencial de razão 2, o dobro do dobro do dobro…

Se pudéssemos dobrar um pedaço de papel 42 vezes (o que, claro, não é realmente possível devido às limitações físicas do papel), a altura do papel dobrado seria extraordinariamente alta.

Isso ocorre porque a espessura do papel dobrado dobra a cada vez que o dobramos. Então, se dobrarmos o papel uma vez, ele terá duas vezes a espessura original. Se dobrarmos novamente, terá quatro vezes a espessura original, e assim por diante.

A espessura do papel depois de dobrado 42 vezes seria então 2^42 vezes a espessura original. Se tomarmos a espessura do papel como 0,1 milímetros (um valor comum), então a espessura depois de dobrado 42 vezes seria de cerca de 439.804 quilómetros, que é maior que a distância média da Terra à Lua.

Se não acreditas na fórmula verifica este esquema:

Nº de dobragensEspessura/altura* 
10,1mm
20,2mm
30,4mm
40,8mm
51,6mm
63,2mm
76,4mm
812,8mm
925,6mm
1051,2mm
11102,4mm
12204,8mm
13409,6mm
14819,2mm
151,6m
163,2m
176,4m
1812,8m
1925,6m
2051,2m
21102,4m
22204,8m
23409,6m
24819,2m
251,6km
263,2km
276,4km
2812,8km
2925,6km
3051,2km
31102km
32 205km
33  410km
34  820km
351 638km
363 277km
37 6 554km
3813 107km
3926 214km
4052 429km
41104 858km
42209 715km
43419 430km

É uma ideia intrigante, não é? Infelizmente, não vais conseguir enviar uma carta à lua desta maneira. Mas isso não nos impede de sonhar e de explorar as maravilhas matemáticas que nos rodeiam todos os dias! 📚✨

www.ginasiosdavinci.com / Onde há sempre mais para aprender.

*tabela alguns dos valores foram sujeitos a arredondamento, o que em nada altera a ordem de grandeza da altura final

Calendário de ações para os Exames Nacionais do Ensino Secundário e para o Acesso ao Ensino Superior para o ano de 2023. Tudo o que precisas de saber.

O calendário de ações para os Exames Finais Nacionais do Ensino Secundário e o Acesso ao Ensino Superior para o ano de 2023 já foi anunciado. Este guia rápido oferece-te um resumo de todos os prazos que necessitas saber.

Os processos começam com a inscrição para a realização de pré-requisitos, que decorre de 3 a 21 de abril. A inscrição para a primeira fase de exames nacionais do ensino secundário e provas de equivalência à frequência (prazo normal) ocorre de 4 a 17 de abril. A realização de pré-requisitos deve ser concluída até 23 de junho, seguindo o calendário específico fixado e divulgado por cada instituição de ensino superior que os exige.

Até 2 de junho, os alunos podem anular a matrícula no ensino secundário, nos casos aplicáveis. A primeira fase dos exames nacionais do ensino secundário ocorre de 19 de junho a 3 de julho, com a componente de produção e interação orais dos exames nacionais de línguas estrangeiras e de PLNM a ter lugar de 19 de junho a 6 de julho.

Os resultados da primeira fase dos exames nacionais e das provas de equivalência à frequência serão afixados em 17 de julho. A partir de 24 de julho, os candidatos podem apresentar a candidatura à primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, com prazos diferentes para candidatos emigrantes e restantes candidatos.

A segunda fase de exames nacionais do ensino secundário e provas de equivalência à frequência, bem como a reapreciação das provas da primeira fase, têm datas específicas ao longo de julho e agosto. Os resultados da segunda fase serão afixados em 3 de setembro.

Finalmente, a matrícula e inscrição no ensino superior ocorrerão em setembro para os alunos colocados na primeira e segunda fase do concurso nacional de acesso.

Para informações mais detalhadas e datas específicas, consulte o calendário completo em https://www.examesnacionais.com.pt/acesso-ensino-superior-2023-24/calendario-fases.php. É importante notar que algumas datas ainda carecem de confirmação e devem ser verificadas.

Este é um momento crucial na vida de qualquer estudante, mas com organização e dedicação, o sucesso está ao alcance de todos. Boa sorte a todos os candidatos!

Fonte: www.ExamesNacionais.com.pt – O teu aliado na conquista do sucesso nos exames…

Um guia em 10 passos para te ajudar a fazeres a tua candidatura à universidade.

Escolher o curso e a universidade certa é crucial para o teu futuro académico e profissional. Aqui tens um guia com 10 etapas para te auxiliar na candidatura ao ensino superior.

Título: 10 passos para uma candidatura bem-sucedida à Universidade

Escolher o curso e a universidade certa é crucial para o teu futuro profissional. Aqui tens um guia alternativo com 10 passos para te auxiliar na candidatura à universidade.

  1. Pesquisa e informação consulta o site www.examesnacionais.com.pt e o site da DGES – Direção Geral do Ensino Superior para obter informações detalhadas sobre cursos, universidades, médias de acesso, provas de ingresso e outras informações úteis. Lembra-te de solicitar a Ficha ENES na tua escola secundária.
  2. Obtém a senha de acesso ao portal de candidatura online Antes de começar a candidatura, é necessário solicitar uma senha de acesso no site da DGES. Esta etapa é gratuita e deve ser realizada no período estipulado para o pedido de senhas, que normalmente começa em fevereiro ou março.
  3. Insere as notas do ensino secundário Ao iniciar a tua candidatura online, usa a tua Ficha ENES para preencher os campos solicitados com rigor e atenção. A plataforma não te permitirá avançar se cometeres erros.
  4. Insere os exames realizados Nesta etapa, verifica quais exames realizaste e as respetivas notas. A plataforma já deve mostrar todos os teus exames e resultados automaticamente.
  5. Atualiza as informações de contacto Certifica-te de que as tuas informações de contacto estão atualizadas, para que possam entrar em contacto contigo caso seja necessário.
  6. Escolhe as opções de candidatura Seleciona um Gabinete de Acesso ao Ensino Superior próximo à tua residência e, se pretendes candidatar-te a uma bolsa de estudo, indica-o nesta etapa. Lembra-te de indicar o contingente pelo qual te candidatas e, se aplicável, a preferência regional.
  7. Escolhe os pares Curso/Instituição Nesta etapa, deves escolher até 6 opções de pares curso/instituição, aumentando assim as tuas chances de ser admitido. Ordena as opções de acordo com as tuas preferências e verifica se preenches os requisitos para cada uma delas.
  8. Verifica os pré-requisitos Após preencheres as opções de pares curso/instituição, verifica se há pré-requisitos obrigatórios para alguma das opções escolhidas. Poderão ser pré-requisitos de pré-matrícula (provas de aptidão) ou de matrícula (documentação a ser entregue no momento da matrícula).
  9. Confirma e verifica avisos Antes de concluir a tua candidatura, verifica todas as informações inseridas. Caso haja erros, poderás voltar atrás e corrigi-los.
  10. Conclusão e comprovativo Após submeter a candidatura, imprime o recibo de comprovativo e guarda-o. Este documento é a prova das opções de candidatura que selecionaste.

Este guia simplificado em 10 etapas deve facilitar a tua candidatura à universidade. Se ainda tiveres dúvidas, consulta o Guia da Candidatura 2022 da DGES.

E para mais informação de exames e acesso ao ensino superior consulta https://www.examesnacionais.com.pt/ , o site referencia de alunos e professores para consulta de informação sobre exames nacionais e acesso ao ensino superior.

https://www.ginasiosdavinci.com

10 DICAS para te ajudar a abordar este último período com confiança e otimizares ao máximo o teu desempenho escolar:

1º Estabelece objetivos claros: Reflete sobre os teus objetivos académicos para o 3º período e estabelece metas realistas e alcançáveis.

Organiza o teu espaço de estudo: Cria um ambiente de estudo confortável e organizado, sem distrações, para facilitar a concentração e a produtividade.

3º Cria um horário de estudo: Elabora um plano de estudo que inclua pausas regulares e tempo para atividades de lazer. Seguir um horário ajuda a manter a disciplina e a organização.

4º Revê as matérias: Antes de começares a aprender novos conteúdos, dedica algum tempo a rever a matéria dos períodos anteriores para consolidares o teu conhecimento.

5º Mantém um bom ritmo de estudo: Estuda diariamente, dividindo o tempo entre as diferentes disciplinas, para garantir uma aprendizagem consistente e equilibrada.

6º Participa nas aulas: Colabora ativamente nas aulas, fazendo perguntas e esclarecendo dúvidas. A participação melhora a compreensão e o envolvimento com os conteúdos.

7º Trabalha em grupo: Aprende com os teus colegas, trocando ideias e discutindo temas. O trabalho em grupo pode ser uma excelente forma de aprofundar o conhecimento e desenvolver competências sociais.

8º Utiliza recursos variados: Explora diferentes fontes de informação, como livros, vídeos e sites educativos, para enriqueceres a tua aprendizagem e obteres uma perspetiva mais ampla sobre os temas.

9º Mantém o equilíbrio: Lembra-te de cuidar do teu bem-estar físico e mental, praticando atividade física, dormindo bem e reservando tempo para relaxar e conviver com amigos e familiares. Um estilo de vida equilibrado é essencial para o sucesso académico.

10º Tira todas as tuas dúvidas nas explicações. Na Da Vinci, claro 🙂

http://www.ginasiosdavinci.com

Uma viagem por Portugal pelo clima pode-te levar à COP28 NO Dubai.

Uma viagem por Portugal pelo clima pode-te levar à COP28 NO Dubai.

A “Viagem pelo Clima“ é uma competição promovida pela Get2C, em parceria com a Câmara Municipal de Cascais e o Fundo Ambiental, que visa sensibilizar a sociedade portuguesa para a urgência da transição climática. Durante 10 dias, três equipas de quatro membros percorrerão Portugal de forma sustentável, representando as regiões Norte, Centro e Sul. A competição utiliza uma moeda fictícia chamada “Clima“ e a equipa vencedora, que gastar menos “Climas“, participará na COP28 no Dubai. As inscrições estão abertas até 23 de abril no site www.viagempeloclima.pt.

Durante a competição, as equipas têm que gerir um orçamento em “Climas“, procurando gastar o mínimo possível. Enfrentarão desafios para envolver a população e recuperar “Climas“.

A equipa vencedora, com o percurso mais sustentável e menos “Climas“ gastos, ganhará uma viagem ao Dubai em dezembro de 2023, para participar na COP 28, a conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas.

Se não tens mais de 18 anos, pelo que não podes participar, mas divulga e partilha esta iniciativa, pois a causa é extremamente importante, merece ser conhecida por todos.

ATENÇÃO: AS INSCRIÇÕES TERMINAM NO DOMINGO, DIA 23. INSCREVE-TE JÁ 👇👇

www.viagempeloclima.pt.

#COP28#sustentabilidade#SUSTENTAVEL#AMBIENTE

5 dicas para tirares o máximo proveito das explicações.

Não vale a pena os teus pais gastarem dinheiro em explicações se não tiveres efetivamente vontade de aprender e melhorar os teus resultados. Cumpre as dicas que deixamos e tira assim o máximo proveito.

1. Tens de estar aberto a aprender e prestar atenção ao que te ensinam e explicam. Tenta fazer perguntas para teres certeza de que compreendeste o assunto.

2. Pede exemplos. Se tiveres dificuldade em entender algum tema, pede ao explicador para dar exemplos práticos ou situações do dia a dia que possam ajudar-te a visualizar o assunto.

3. Tira apontamentos. Tira notas enquanto o explicador transmite os conteúdos. Isso vai ajudar-te a lembrar das informações importantes e a voltar às mesmas mais tarde.

4. Pratica: Depois de teres entendido um tema, pratica-o sozinho. Faz exercícios ou cria situações hipotéticas que possam ajudar-te a aplicar o conhecimento recém-adquirido

5. Comunica. Comunica com o explicador se ainda tens dúvidas ou se precisas de mais esclarecimentos. É importante teres a certeza que compreendeste tudo da maneira correta, para poderes prosseguir para a próxima matéria.

http://www.ginasiosdavinci.com

1º de maio. Dia mundial do Trabalhador. (NÓS EXPLICAMOS)

Desde quando e porque é que se comemora no dia 1 de maio o Dia do Trabalhador?

Não sabes? NÓS EXPLICAMOS:

O Dia Mundial do Trabalhador é comemorado no 1º de maio em praticamente todos os países do mundo. De facto tem origem nas lutas dos trabalhadores por melhores condições de trabalho, salários justos e redução dos horários de trabalho, no final do século XIX.

A escolha do dia 1º de maio está relacionada aos eventos ocorridos em 1886, em Chicago, nos Estados Unidos da América.

Nesse ano, uma greve geral foi convocada pelos trabalhadores para reivindicar o horário de trabalho de 8 horas diárias. A manifestação culminou na Revolta de Haymarket, a 4 de maio, quando um atentado com bomba e a repressão policial resultaram na morte de vários manifestantes e polícias. Em 1889, durante a Segunda Internacional Socialista, em Paris, o 1º de maio foi escolhido como o Dia Internacional dos Trabalhadores, em memória dos eventos de Chicago. E assim foi ficando até aos dias de hoje na maioria dos países do mundo.

E em Portugal?

Em Portugal, o Dia do Trabalhador começou a ser comemorado no início do século XX, como parte das lutas sindicais e laborais que aconteciam por todo o país. Durante a ditadura do Estado Novo, liderada Salazar, as comemorações foram muitas vezes reprimidas, sendo que nunca deixou de ser assinalado, mas só se tornou feriado nacional após a Revolução de Abril. O 1º de Maio de 1974 constituiu uma grande explosão popular, citando o historiador Fernando Rosas, foi “uma espécie de prefácio do processo revolucionário que então se inicia.

Após a Revolução dos Cravos, em 1974, o Dia do Trabalhador voltou a ser celebrado e foi instituído como feriado nacional em 1975.

Atualmente, o 1º de maio é uma data importante para relembrar as conquistas dos trabalhadores, refletir sobre as condições de trabalho e lutar por melhores condições e direitos para todos.